Image Map

Sindicância do Museu Barão de Santo Ângelo foi concluída

Prefeito Municipal, Rafael Barros encaminha  Sindicância ao Procurador da República

Museu Barão de Santo Ângelo – Rio Pardo/RS

O Museu Barão de Santo Ângelo, na cidade de Rio Pardo, abriga objetos pertinentes à história do Município, do Estado do Rio Grande do Sul e do Brasil. O local já passou por restauro e reformas anteriores, a última reforma ocorreu no ano de 2016.

Na última reforma, realizada pela gestão anterior, a mão de obra utilizada foi proporcionada pela Marinha Brasileira e, a madeira doada pelo Ibama. Os objetos do museu foram retirados do local e após a conclusão da mesma, no final de 2016, reconduzidos ao lugar de origem. Entretanto, no início de 2017, quando a nova gestão municipal assumiu, foi constatado que 80% do acervo encontrava-se avariado, sendo que parte dos objetos de exposição desapareceu.

Em virtude destes acontecimentos, no início de 2017 foi instaurada Sindicância para apurar o desaparecimento e avarias, no acervo do Museu Histórico Barão de Santo Ângelo, que no mês de abril foi concluída.

A comissão concluiu que:

Tendo em vista que os possíveis responsáveis não integram mais a Administração Pública Municipal opinam pelo encaminhamento de cópia da Sindicância ao Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual para as providências civis e criminais que entenderem pertinentes.

Protocolo no MPF relativo à Sindicância do Museu Barão de Santo Ângelo.

Após esta conclusão  na data de 19 de abril o Prefeito Municipal, Rafael Barros foi pessoalmente realizar a entrega da Sindicância ao Procurador da República, junto ao Ministério Público Federal, no município de Santa Cruz do Sul. Na ocasião, o Procurador da República Marcelo Mezacasa, sinalizou no sentido de instauração de Inquérito para apuração dos fatos.

Já com relação a reforma do Museu, na última semana foi instaurada nova Sindicância Municipal a qual visa investigar situações envolvendo a reforma do Museu, sendo que já tramita Inquérito Civil quanto a reforma no Ministério Público Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *