Image Map

SEMANA DE VACINAÇÃO DO ADOLESCENTE – 2017

A palavra “adolescência” tem origem no latim, onde ad = “para” e olescere = “crescer”. Portanto, adolescência significa literalmente “crescer para”.

Adolescência, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é o período que se estende dos 10 aos 19 anos de idade, caracteriza-se como o período de transição entre a infância e a vida adulta, marcado pelos impulsos do desenvolvimento físico, mental, emocional, sexual e social e pelos esforços do indivíduo em alcançar os objetivos relacionados às expectativas culturais da sociedade em que vive. O Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria também consideram como adolescentes os indivíduos que se encontram nessa faixa etária. Já o Estatuto da Criança e do Adolescente define adolescência como o período compreendido entre os 12 e os 18 anos de idade.

Quando tratamos de questões relacionadas às imunizações, os pais costumam seguir o calendário de vacinação dos filhos rigorosamente quando são crianças. Porém, depois de atingir os seis anos de idade, momento em que a caderneta costuma ficar completa, muitos deixam de se preocupar com a questão. Para alguns imunobiológicos, é na adolescência que se encontra a necessidade de realizar doses de reforço, para manter altos níveis de proteção, como exemplo, a vacina contra Tétano (Vacina dT), meningococo tipo C, vacinar-se contra o papilomavírus (HPV) entre outras. O Programa Nacional de Imunizações / Ministério da Saúde mantém um calendário vacinal destinado aos adolescentes de 10 a 19 anos de idade. Entre as vacinas indicadas estão:

 

VACINA HEPATITE B (RECOMBINANTE): Administrar em adolescentes não vacinados ou sem comprovante de vacinação anterior, seguindo o esquema de três doses (0, 1 e 6) com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose. Aqueles com esquema incompleto, completar o esquema. A vacina é indicada para gestantes não vacinadas.

 VACINA ADSORVIDA DIFTERIA E TÉTANO – dT (Dupla adulto): Adolescente sem vacinação anteriormente ou sem comprovação de três doses da vacina, seguir o esquema de três doses. O intervalo entre as doses é de 60 dias e no mínimo de 30 dias. Os vacinados anteriormente com 3 (três) doses das vacinas DTP, DT ou dT, administrar reforço, a cada dez anos após a data da última dose.  Em caso de ferimentos graves antecipar a dose de reforço sendo a última dose administrada há mais de 5 (cinco) anos.

VACINA FEBRE AMARELA: Considerar vacinada a pessoa que comprovar uma dose da vacina realizada a partir dos 9 meses de idade. O Brasil segue a OMS e o Regulamento Sanitário Internacional, considerando a vacina febre amarela como de imunidade permanente, sem necessidade de revacinação.  Precaução: A vacina é contraindicada para gestante e mulheres que estejam amamentando. Nestes casos buscar orientação médica do risco epidemiológico e da indicação da vacina.

VACINA SARAMPO, CAXUMBA E RUBÉOLA – SCR: Considerar vacinado o adolescente que comprovar o esquema de duas doses. Em caso de apresentar comprovação de apenas uma dose, administrar a segunda dose. O intervalo entre as doses é de 30 dias. Precaução: A vacina é contraindicada para gestante.

VACINA HPV: O objetivo com a vacinação contra HPV, é a prevenção de verrugas genitais e do câncer genital masculino e feminino. Em 2017, a população alvo são meninas de 09 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Está indicado o esquema vacinal de 2 doses, com intervalo mínino de seis meses entre a 1º e a 2º dose

VACINA CONTRA O MENINGO C: A finalidade da Vacina Meningocócica – C é reforçar a proteção contra meningite (causada pelo Meningococo-C), uma vez que, com o passar dos anos, pode haver diminuição da proteção após a imunização, que acontece na infância. Terão uma dose à disposição, adolescentes (meninos e meninas) de 12 e 13 anos de idade. No Brasil, a doença meningocócica está presente, com ocorrência de surtos esporádicos. O meningococo é a principal causa de meningite bacteriana no país e acomete indivíduos de todas as faixas etárias.

ESTRATÉGIA DE VACINAÇÃO:

A Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, tem como objetivo intensificar o Programa de Saúde na Escola, resgatando a cobertura vacinal entre os adolescentes. Com este propósito, será desenvolvido uma Semana de Vacinação do Adolescente no início do 2º semestre de 2017 a ocorrer no período de: 21/08/2017 a 25/08/2017.

 Consideramos esta parceria de fundamental relevância, por serem os professores importantes formadores de opinião deste segmento da população. Inúmeras ações poderão ser desenvolvidas pelas Instituições Escolares com seus alunos, tais como:  atividades pedagógicas sobre o tema,  encontros que reproduzam o conhecimento sobre os agravos e a vacinação aos adolescentes,   socialização destas informações com os pais e/ou responsáveis legais por meio de material educativo, etc, e, desta forma, motivá-los a se engajar nesta ação de saúde pública. A sensibilização por meio de esclarecimentos, é a melhor forma para adesão da população alvo a esta ação de vacinação. Reforçamos a importância da articulação entre as Coordenadorias Regionais de Educação e Saúde e, as Secretarias Municipais de Educação e Saúde.

São movimentos, que articulados e planejados poderão qualificar e potencializar a adesão à vacina, protegendo e estimulando nossos adolescentes ao cuidado com sua saúde.

Além disso, esta ação permitirá que, mais uma vez, a escola realize sua função social com a comunidade a que pertence, informando-a e produzindo, coletivamente, a mudança necessária para constituir a incorporação de hábitos saudáveis e controladores de doenças transmissíveis.

As Unidades Básicas de Saúde estarão disponíveis para realização desta ação de vacinação. Para tanto, esta ação deve ser previamente planejada entre as Unidades de Saúde e as Escolas de sua área de abrangência. O Programa Estadual de Imunizações recomenda a utilização de Termo de Autorização para Vacinação, quando a ação for executada na Escola.

Ressaltamos que as vacinas que compõem o calendário do adolescente estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde durante todo período do ano.

Powered by WPeMatico