A Ponte do Couto

Era DISTRITO DO COUTO, quando surgiu a PONTE DO COUTO

A mais de 200 anos em funcionamento..

Atualmente esta localidade é denominada Ramiz Galvão, em homenagem ao rio-pardense que ali nasceu.
No entanto, o distrito do Couto entrou para a história de Rio Pardo como sede de um destacamento dos Dragões que vigiou passagens estratégicas no século XVIII, sendo escolhido para diversas experiências de colonização açoriana e alemã. Tratava-se de um lugar de cultivo de trigo, vinhas e ervas, bem como criação de gado.
A ponte do Couto tem o projeto com autoria de João Martinho Buff, sendo a construção de Antônio Luiz da Costa Esteves, na época o Presidente da Província era o Conselheiro Manoel Antônio Galvão. A referida ponte é referida em relatório que estabelecia comunicação entre os distritos do Couto, Taquary e, Santo Amaro com a cidade de Rio Pardo, sendo sua construção demorada ainda que ocorrido um desmoronamento, no início das obras.
Refere-se aqui a um bem tombado pelo Instituto Histórico e Artístico do Estado (IPHAE, através da portaria nº 34/2013 de 17.05.2013).
Trata-se de uma ponte com base de pedra, construída no século XIX, que resistiu ao tempo e ainda encontra-se em uso, considerando constituir um marco referencial e atrativo e, de grande beleza, localizada no município de Rio Pardo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *